Escrevendo sobre escrever

E é em um momento como esse que eu percebo o quão escrever me faz… Não feliz, mas me sentindo menos pior com tudo o que está acontecendo. Parece que o blog virou meu “diarinho”, e que escrevo nele pra contar tudo o que acontece comigo, o que, desde o princípio, quis deixar bem claro, até pra mim mesmo, que esse blog seria longe disso. Bem longe disso, alias. E espero que continue bem longe. Mas que as vezes eu tenho que escrever coisas pessoais por simplesmente PRECISAR botar tudo isso pra fora, é inevitável. Ninguém e de ferro, e se fosse, eu já estaria MUITO enferrujado e corroído. No final da vida.

Escrever, para mim, agora, tomou um significado completamente diferente do que era antes, de apenas treinar para o vestibular, e, se alguma alma visse, apresentar minha opinião sobre assuntos diversos, isso quando tem gente que visita a maldita página. Agora, sem chance nenhuma de entrar pro vestibular, com medo de minhas notas descerem a pequena montanha que ainda habitam, com mais problemas que… Bom… Com mais problemas do que eu mesmo tinha antes, escrever vai ter que virar rotina. Com sentimentos que podem considerar absurdos se tornando concretos na minha mente, até eu estou com medo do que posso fazer.

Voltar a escrever, acima de tudo, também, me mantem informado sobre notícias, atualidades, tragédias, entre outras coisas e amenidades, o que me ajuda, pelo menos, a entender a merda de país onde vivo, e que me permite também ver pra onde estou indo. Ou onde ESTAMOS indo, porque aqui, todos estamos afundando simultaneamente. E, no final de cada texto sobre as atualidades, mundiais e pessoais, vejo que pelo menos uma, duas pessoas ainda lêem (não sei se por caridade, não sei se por amizade) esta página, e acabam comentando, pessoalmente ou através do não-utilizado-por-este-blog recurso de “Comentários” oferecido gentilmente pelo Blogger, vejo que acabam gostando, e me elogiam pelo bom texto. Logicamente fico feliz.

Quero que a ação de escrever um texto torne-se a luz no final do túnel. Ou a luz que me pegue e que me trará novamente a por os pés na terra, que vai entrar bem fundo no poço que atualmente cavo, e que me puxará de volta. O sopro que, espero, me traga novo folego pra aguentar tudo o que passo, penso, e faço. Espero que não se incomodem de ler, as vezes, um pequeno diário meu.

Necessito voltar a escrever. E é com esse texto que inauguro (ou não) alguma coisa que eu não sei explicar, mas que vai me fazer escrever mais, sobre mais coisas, pessoais ou não, pra ver se tenho mais visitas nesse blog, para tentar ter mais comentários, pra fazer uma “Sessão Descarrego” interna, e pra mais muitas outras coisas, que tenho certeza que me relaxarão dessa merda de vida que tenho.

E não me venha falar das crianças da África…

Obs: De tão repetida, a palavra “escrever”, em todas suas formas, até se tornou estranha.

Anúncios

1 Response to “Escrevendo sobre escrever”


  1. 1 Marcelo setembro 21, 2007 às 1:00 pm

    cara, vc escreve pelos mesmos motivos que eu faço (tento fazer) musica, e isso nao pode parar nunca, Que se dane o vestibular e a escola, o importante é sempre fazer o que voce gosta e te deixe feliz.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




twitter

calendário

setembro 2007
S T Q Q S S D
« ago   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

%d blogueiros gostam disto: