Arquivo para fevereiro \22\UTC 2008

Queda

E eu sei que vou cair. Não tenho certeza, mas se tudo continuar caminhando para o lado que está, a probabilidade é grande. E é aí que me sinto derrotado. Pensar que desistirei de um ideal não é tão agradável. Rendo-me aos clichês por falta de amigos de combate. Caio na mesmisse da pós-adolescência atual, como todos tendem a isso. Sim, lutarei até o final, e ainda é capaz de não sair derrotado, mas as estatísticas não mentem. Minha mente não me falha ao falar “eu te conheço, Vitor, não se engane”, e sabe que uma hora ou outra, em algum baixo, ou até mesmo um alto, de humor, a possibilidade sairá das mentes dos que me conhecem. E a decepção comigo mesmo reinará por absoluto, durante um tempo.

Não culparei ninguém, caso aconteça. No dia que eu vier a cair, se esse dia vier, de fato, tomarei total responsabilidade por ele. Não quero que isso afete mais ninguém do que já me afetou, e também não me mutilarei através de palavras, através de uma baixa-auto-estima cultivada há anos, através até do meu subconsciente. E essa última será difícil de cumprir, vendo que estarei diante de um grande dilema psicológico entre o certo e o errado, entre o orgulho e o fracasso. Entre a única coisa que eu posso realmente me orgulhar, e jogá-la pelo ralo como se não fosse absolutamente nada. E se não tão extremo assim com esse nada, digo que foi apenas uma fase, que não desejo que passe… Mas a carne é fraca.

Foda é pensar isso. Foda é pensar que deixará um ideal de lado por um bem maior, e, quando na verdade, de “bem” isso não tem nada. Pensar que uma coisa que potencialmente deveria servir de exemplo (não querendo “me achar”, obviamente), foi substituída por seu total extremo. É foda, e ponto final. Não é legal você ver que tudo o que você conseguiu até hoje está desaparecendo por você ser fraco. E digo mais, não é ser fraco a questão. Ser fraco é uma coisa que não sou quando se trata disso, mas sim: os outros serem mais fortes. Nada sem estímulo é válido. Girar contra o mundo sozinho não é fácil. Ver até mesmo as pessoas que você gosta (ainda em tempo de falar: ama), ao invés de te apoiarem, brincam com a situação.

Saber disso não é legal. Assistir, de camarote, a ascensão e a queda de um princípio. E de uma pessoa que dá tanto valor aos seus princípios quanto dá à própria vida, até, é um belo filme. Belo aos olhos alheios. Aos olhos da mente em que tudo isso passa, é uma decepção sem tamanho. Pensar se deve fazer isso, mesmo achando errado, mas por um bem maior, ou se não deve entregar-se à oposição, correndo riscos até mesmo desnecessários.

És um perdedor, Vitor, de qualquer maneira. Começou perdendo há anos, e só não admite por um orgulho que não lhe cabe no peito, e por uma cabeça tão dura ao ponto de ser, as vezes, inconseqüente. Pare e pense. Perder a batalha, mas não perder a guerra no geral. Perder a guerra e o respeito próprio no interior de sua cabeça.

“Se não pode vencê-los, junte-se a eles”. Quem disse isso foi um grande perdedor.

P.S.: É um texto assim: postarei esse, mas farei uma “versão 2” dele. Esse está muito “certinho”, não falei nada claramente, e as vezes, por tentar pensar em palavras que encaixavam no significado, eu perdia algumas linhas de raciocínio. Quando a segunda versão for feita, falando mais espontâneamente, e xingando mais, talvez saia um texto muito maior.

Decepção

Fale-me de ódio, fale-me de raiva, fale-me de qualquer sentimento repugnante, talvez até o mais repugnante que possa pensar. Porém nada se compara à decepção. Parei para pensar sério no que a decepção significa pra mim há um tempo. Acho que algumas me trombaram o caminho e tive mais clareza ao poder refleti-las. Nenhum sentimento chegou perto de ser o que o sentimento de decepção com alguma coisa, algum acontecimento ou alguma pessoa é. Isso falo no meu caso, quando acontece comigo ou quando eu a sinto. E já tive provas de que não é só comigo… A decepção pega forte, em qualquer sentido.

Tristeza, fracasso, derrota são alguns dos sentimentos que podem ser facilmente confundidos à referente a esse texto. É tão fácil confundi-los que nos leva tempo para perceber como a decepção cava fundo no pior sentimento de uma pessoa. Decepcionada uma pessoa se sente traída, triste, possessa… Se sente, talvez, a ralé dos sentimentos ruins. A raspa do que uma pessoa pode sentir por outra. E tudo isso se mistura. Ainda pior quando a decepção bate por uma pessoa. E muito pior ainda, quando bate através de pessoas que gostamos demais. Citarei mais pra frente.

E acho que não posso me sentir mais humilhado, pior de espírito, reprimido ao máximo, quando uma pessoa se decepciona comigo. Saber que decepcionei alguém, cometi tão grave erro, é saber que cheguei à beira do abismo. Diga: “Vitor: hoje você me decepcionou muito.”. E após disso, só termine seu trabalho pondo em minhas mãos uma corda. Ou me dê um empurrãozinho ladeira abaixo mesmo. Porque se eu decepcionei alguém, é porque alguma coisa muito ruim que, além de tudo, me fez passar por cima de mim mesmo, e dos meus princípios, e de qualquer auto-respeito que me restava. Se decepcionei alguém na minha vida, e tivesse a mesma cabeça que tenho hoje, ao escrever esse texto, eu não saberia o que dizer para essa pessoa. Não teria coragem de levantar a voz nem para uma desculpa. Isso jamais será algo que poderá facilmente ser desfeito.

Quero que igualmente, as pessoas que me conhecem, saibam que decepção, no sentido contrário aos que estamos indo, pra mim, é foda. E é “foda” por falta de vocábulos que podem exprimir o que realmente sinto. Algo me decepciona, é algo que realmente fugiu de minha realidade. Consigo pensar em exemplos, mas os deixarei pra depois. Isso SE realmente falarei. Mas algo que me decepciona é algo que conseguiu tirar meu gosto de confiança, quase meu gosto de viver. Sinceramente: alguma coisa que quando visto pelos meus olhos, está infringindo todas possíveis leis que fiz para meu olhar do mundo. Ao mesmo tempo.

E a decepção, que me fez vir aqui escrever esse texto, junto com a de um amigo. Aquele tipo que lhe faz perder a fala. Que nada que você disser vai conseguir pegar exatamente sua linguagem corporal, dos seus pensamentos aos seus olhares-tortos, no momento.

E daqui pra frente, não estou conseguindo mais segurar essa decepção. Vou ter que falar de maneira curta e direta, como em alguns textos… Realmente, minha raiva está ganhando da minha paciência para achar palavras que consigam me traduzir agora. Só os mais primitivos xingamentos, agora, numa hora de decepção mal-traduzida pela raiva, está capaz de fazer alguém tentar enxergar o que realmente é. E não se importem caso não entendam.

Não que quando tenha descoberto eu fiquei puto. Jamais ficaria puto. Vai contra os meus princípios, mas nem um soco na minha cara faria eu ficar puto ali, olho no seu olho. Acho que foi uma dor bem funda que começou a latejar. Ao desferir tais palavras, talvez o mais belo soco no meu estômago eu tenha recebido naquela hora. E dói. Até hoje, dói saber a verdade. Encarar a realidade, acho que é uma dor bem constante, mas essa realidade é uma tao fora dos padrões (pra mim), que está sendo difícil de aceitar. Mais cedo ou mãis tarde aceitarei, mas ainda assim… O tempo está ai pra isso. E ver-te aos atos citados acima me causa profunda depressão momentânea, e uma decepção que me bate forte desde a primeira vista. E ainda saber que faz isso sem pudor algum ou respeito a qualquer opinião minha, ainda torna a mistura soco no estômago mais decepção uma overdose de sentimentos ruins.

Quando penso em coisas assim que percebo quão, no real sentido, inocente sempre fui com o mundo. Como pude, um dia, falar que a realidade não era uma vadia por alguns momentos, apenas por pequenos acontecimentos bons e rápidos? Falei, falo, e jamais retirarei nenhum pingo de sentimento dessa frase (nem quando a criei, num momento incrivelmente triste, nem agora, num momento muito bom de minha vida): a realidade é uma vadia. E temos que engolir tudo a seco.

Decepção é, literalmente, o fundo do poço dos sentimentos. Em uma próxima oportunidade, sugiro que conte quantos sentimentos juntos você sente ao estar decepcionado. E duvido que saia nada mais do que UM bom desses todos.

Decepcionante, infelizmente.


twitter

calendário

fevereiro 2008
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829